Representante da moda amazonense: Midori Nakamura fala sobre a experiência e novos planos após o concurso nacional Movimento Hotspot

Manaus sofreu por muitos anos com o descrédito nos próprios talentos, especialmente no ramo de moda que, infelizmente, ainda é visto por algumas pessoas como algo primitivo, artesanal, fútil, não vendável ou sem nenhum valor comercial. Ainda bem que há pessoas que nadam contra a corrente e superam seus próprios limites, mostrando que com vontade, dedicação e bom gosto, um trabalho e uma ideia simples podem ganhar visibilidade nacional, se bem executado.

O exemplo mais recente dessa máxima é a estilista Midori Nakamura, que depois de muitos anos lecionando inglês (eu fui um de seus alunos, inclusive), decidiu mudar o rumo da sua carreira e apostar na sua criatividade e vontade de mudar o consciente coletivo através de uma coleção que tem como proposta a sustentabilidade. Estudando formas de tecelagem com algodão cru, Midori viu uma oportunidade de mostrar para as pessoas que o “eco-friendly” pode ser versátil, bonito e não agressivo ao meio ambiente no processo de produção. Esse projeto ganhou destaque nacional ao ser selecionado no processo seletivo Movimento Hotspot, que em parceria com a Riachuelo, premiaria um estilista com uma ideia inovadora e original. A amazonense foi uma das finalistas no concurso e teve seu modelo final exposto em várias cidades do Brasil, o que já quebra vários preconceitos.movimento hotspot manaus midori nakamuraA partir dessa grande oportunidade, Midori conheceu grandes nomes da moda (como Paulo Borges e Dudu Bertholini) e se fez notar representando muito bem o nosso estado! (Veja aqui a matéria que o Maoleskine fez sobre as personalidades amazonenses que também participaram ativamente ou indiretamente do São Paulo Fashion Week desse ano) É realmente uma inspiração pra mim!

midori nakamura movimento hotspot maoleskine

O resultado final do concurso foi publicado recentemente e Midori, apesar de ter tido grande notoriedade, não foi a vencedora. Ao meu ver, só por ter conseguido ver algo que ela criou ser exposto em instalações de diversas cidades do Brasil, ter conhecido grandes mentes transformadoras e criadoras de outros estados, a experiência de poder compartilhar sua ideia e ver que pessoas que realmente entendem do assunto estão aprovando e acreditando no seu potencial não tem preço e já valem tanto quanto (ou ainda mais do que) a vitória em si. Olha o que ela disse sobre a experiência:

“Gente, saiu o resultado do MHS.  Um ano e meio de uma longa jornada, que não me trouxe o título, porém muitas outras vitórias e conquistas. Ninguém fica “contente” em não ganhar mas, posso dizer que, triste não estou.  Fazendo aquela análise de fim de linha, eu só ganhei. Os questionamentos que me fiz agora, eu os faria ao fim, mesmo que tivesse obtido o premio (aquela famosa pergunta: e agora?). 

midori maoleskine movimento hotspot

Diz Lala (curadora da ideia): “ Estamos grávidos de um mundo novo que querendo ou não nascerá!”  Esse mundo é um mundo sustentável, inevitável para a sobrevida humana no planeta.  Infelizmente esta gestação é mais longa que eu pensava e a indústria, principalmente a do vestuário ainda é muito primitiva neste sentido.  Moramos num país onde o ministro da Fazenda reduz o IPI dos carros para aquecer a venda de automóveis em pleno séc XXI.  A nossa “sustentabilidade” é a sustentabilidade “coxinha” do Luciano Huck. Minha coleção não é “coxinha”, minhas ideias de consumo não são “coxinhas!”  

Acho que forcei demais a barra acreditando que um fast fashion compraria uma ideia assim:  que ensinaria o consumo equilibrado e consciente. Mas se não foi por este caminho, por outro será😉 Agradeço a torcida de todos os que, assim como eu, acreditam que podem fazer a diferença.” – Midori Nakamura, 23/07/13

midori nakamura manaus jornais

Uma revolução acontece quando unimos mentes poderosas. Midori tem feito a parte dela para que mais pessoas façam escolhas conscientes, até para coisas simples como o material e o processo de fabricação das roupas que a gente compra e usa. Ela também nos força a pensar que não importa de onde você veio, o quanto as pessoas da sua cidade não acreditam no seu potencial, no quanto você dependa dos outros para conseguir visibilidade ou as chances do seu projeto não alcançar o topo – se você se dedicar, planejar e acreditar no seu sonho, você vai executá-lo de forma tão minuciosamente bem feita que esse zelo vai chamar a atenção das pessoas certas, já que é muito mais valioso ter a sua ideia apoiada por especialistas e profissionais do que centenas de fãs sem senso crítico. Espero que cada vez mais portas se abram para que pessoas do nosso estado mostrem a sua capacidade, o seu talento e a sua vontade de mudar a forma que o próprio amazonense enxerga a sua cultura, mas para que isso aconteça, é necessário deixar o medo pra trás, pensar grande e mostrar trabalho.

Você está disposto?

Fotos: Acervo de Midori Nakamura / Em Tempo / Revista Bossa / Jornal A Crítica

Projeto Completo ‘Por um mundo sustentavel’ no site oficial do Movimento Hotspot

Acompanhe mais moda, arte, cultura e eventos na fanpage do Maoleskine no Facebook

 

 

2 thoughts on “Representante da moda amazonense: Midori Nakamura fala sobre a experiência e novos planos após o concurso nacional Movimento Hotspot

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s